Ibovespa fecha em alta com PIB, auxílio e reformas em pauta; dólar cai

A divulgação parece não ter afetado duramente o sentimento dos investidores. O mercado também reage à extensão do auxílio emergencial

Foto: Reuters/Rahel Patrasso

Do CNN Brasil Business, em São Paulo*

Ouvir notícia

Prorrogação do auxílio emergencial, expectativa com a reforma administrativa e, claro, resultado do PIB no segundo trimestre ditaram o tom do mercado financeiro nesta terça-feira (1). 

Depois que o IBGE anunciou recuo de 9,7% no PIB no segundo trimestre, os investidores reagiram com otimismo e foram às compras. Com isso, o Ibovespa subiu 2,82%, alcançando os 102.167,65 pontos. 

A alta de hoje já é suficiente para compensar a perda de 2,72% na sessão desta segunda-feira. 

O dólar fechou em queda, refletindo otimismo dos investidores com a agenda de reformas. A moeda americana caiu 1,75%, a R$ 5,385. É o menor patamar para a moeda desde 13 de agosto, quando fechou o dia negociada a R$ 5,367.

Leia também:
Com pandemia, PIB brasileiro recua 9,7% no 2º tri e entra em recessão técnica
Guedes vai entregar proposta da reforma administrativa à Câmara na quinta (03)
Auxílio emergencial terá mais quatro parcelas de R$ 300

Na sessão anterior, a última do mês de agosto, a moeda americana chegou a avançar 1,2%. No mês, a coisa foi ainda pior: o real foi a moeda que mais se enfraqueceu e o dólar ficou 5,2% mais caro por aqui.

Contexto

Hoje o mercado conheceu o resultado do Produto Interno Bruto do segundo trimestre, que teve recuo de 9,7% no período, tombo já esperado por analistas. 

Os especialistas acreditam que a expectativa de tombo já estava precificada tanto na bolsa quanto no câmbio. “Não creio que esse número tenha influência sobre o comportamento do mercado financeiro. O mais importante é observarmos o desempenho da economia no terceiro trimestre”, diz Alexandre Espírito Santo, economista da Órama Investimentos. 

Entre os assuntos que influenciam a alta do Ibovespa hoje está o anúncio da prorrogação do auxílio emergencial até o fim do ano. O presidente Jair Bolsonaro disse hoje que o governo vai pagar mais quatro parcelas do benefício no valor de R$ 300

Sobre o benefício, Bolsonaro disse que o governo “resolveu prorrogá-lo por medida provisória até o final do ano”. “O valor, como vínhamos dizendo, de R$ 600, é muito para quem paga, no caso, o Brasil. Podemos dizer que não é um valor suficiente muitas vezes para todas as necessidades, mas basicamente atende”, afirmou.

Nos próximos dias, a reforma administrativa também estará em pauta. Isso porque a proposta do governo para o projeto será enviada à Câmara na quinta-feira

“Nós precisamos muito dessa ajuda do Congresso, não só como está acontecendo agora, de acompanhamento, mas para aprovar as reformas, destravar os investimentos e fazer o país a voltar a crescer”, disse Guedes.

Destaques

A Gol (GOLL4) ganhou 5,2%, após divulgar que cumpriu na véspera suas obrigações de pagamento do ‘Term Loan B’ contratado em agosto, no valor de US$ 300 milhões, além de juros. No setor, a Azul (AZUL4). 

A Lojas Renner (LREN3) subiu 4,6%, após um efeito fiscal extraordinário garantir o lucro da varejista de vestuário no segundo trimestre, compensando contabilmente os efeitos da pandemia de Covid-19, que derrubaram suas vendas. No setor, a Hering (HGTX3) disparou 9,02%.

A Hapvida (HAPV3) avançou 6,58%. A ação entrou na carteira recomendada de setembro da Guide,que citou, entre outros fatores, que o setor de saúde passa por um momento de consolidação, com as companhias verticalizadas, entre elas a Hapvida, sendo os principais players desse movimento. O CNN Brasil Business também recomendou a compra da ação

Leia também:
Vale, Hapvida: 10 ações recomendadas por gestoras para investir em setembro

O Bradesco (BBDC4) avançou 2,03%, em sessão positiva para bancos e tendo no radar acordo com o JPMorgan para serviços de private banking. O Itaú (ITUB4) valorizou-se 3,4%.

A Petrobras (PETR4) teve elevação de 4,48%, endossada pela alta dos preços do petróleo no exterior.

A Vale (VALE3) subiu 3,49%, com o minério de ferro também fechando em alta na China.

Entre as poucas desvalorizações, a Marfrig (MRFG3) caiu 3,37%, com o setor de proteínas em baixa, em meio à queda do dólar ante o real.

Lá fora

Nos Estados Unidos, a Nasdaq teve a maior alta entre as três maiores bolsas, com valorização de 1,42%. O índice de tecnologia foi ajudado pelas ações da Zoom, que dispararam 40%, a US$ 457 dólares depois que corretoras aumentaram o preço-médio da ação em uma média de US$ 161. 

Reforçando o tom positivo do exterior, o S&P subiu 0,75% e o Dow Jones cresceu 0,76%.

Os índices acionários da China fecharam em alta nesta terça-feira, liderados por ações de mineração e relacionadas a veículos de novas energias, conforme dados fortes da indústria melhoraram o sentimento

O índice CSI300, que reúne as maiores companhias listadas em Xangai e Shenzhen, subiu 0,54%, enquanto o índice de Xangai teve alta de 0,44%.

A atividade industrial da China expandiu no ritmo mais rápido em quase uma década em agosto, impulsionada pelo primeiro aumento nas novas encomendas de exportação este ano conforme a produção aumenta para atender à demanda, mostrou nesta terça-feira a pesquisa Índice de Gerentes de Compras (PMI, na sigla em inglês) do Caixin/Markit.

As ações europeias caíram pela quarta sessão consecutiva nesta terça-feira devido às perdas nas blue-chips britânicas e refletindo dados fracos de inflação da zona do euro, enquanto o setor de tecnologia teve desempenho superior devido a ganhos nos principais fornecedores da Apple.

As fornecedoras da Apple na região avançaram depois que foi relatado que a fabricante do iPhone pediu aos fornecedores que fizessem pelo menos 75 milhões de telefones 5G para este ano, sustentando o índice de tecnologia.

STMicroelectronics, Dialog Semiconductor, Infineon Technologies e ASML ganharam entre 1% e 4%.

O índice FTSEurofirst 300 caiu 0,28%, a 1.416 pontos, enquanto o índice pan-europeu STOXX 600 perdeu 0,35%, a 365 pontos, depois de ter oscilado entre alta de 0,8% e queda de 1%

*Com informações da Reuters

Clique aqui para acessar a página do CNN Business no Facebook

Mais Recentes da CNN